Bem-vindo: Ter Jan 16, 2018 4:10 pm




Criar novo tópico Responder  [ 80 mensagens ]  Ir para página 1, 2, 3, 4, 5, 6  Próximo
Divagações sobre set não tão acústico-atualizado em 06/2013 
Autor Mensagem
Site Admin

Registrado em: Seg Ago 29, 2005 12:42 pm
Mensagens: 7456
Localização: São Paulo
Medals: 12
Positivo (12)
Mensagem Divagações sobre set não tão acústico-atualizado em 06/2013
Bom, nos últimos 2 anos é onde acabei investindo o grosso do meu tempo, pois são as gigs que estão girando mais... (foram cerca de 160 shows nos 2 últimos anos)

Então caso alguem também esteja se aventurando por esse tipo de gig vou relatar aqui algumas tentativas de equipamento...

Estou trabalhando principalmente com gigs pequenas (duos e trios) em locais pequenos e médios, nos pequenos trabalho com meu próprio P.A, nos médios uso meu sistema pra monitoração...

A primeira observação é que ainda não resolvi o set. Consegui várias melhorias desde que comecei, mas ainda tô longe de me dar por satisfeito.


1- Instrumentos:

Comecei com um suzuki small body eletroacústico, que é o que tinha aqui pra começar o projeto, já passaram por aqui, Takamine Japa, Jasmine, APx Aço APX Nylon, Gibson Vintage, Lauren Nylon, Rozinni double neck, Yamaha Folk e Yamaha nylon que eu me lembre...

O Suzuky é um violão de entrada, de menos de r$500,00 que julgo bastante honesto, acabei gravando o disco de violão inteiro com ele, foi regulado alguns anos atras pelo Leandro da Walczak com um set de 011´s e ficou bem legal... bastante confortável.

Na gravação do disco foi provavelmente o melhor resultado sonoro que consegui dele, sempre achei que faltava algo no som acústico e algo no som plugado, mas num ambiente controlado com boa microfonação e paciência pra timbrar achei que soa maior do que o violão que realmente é.

Minha filosofia com relação a violões é bastante diferente da filosofia com guitarras, nas guitarras sou adepto a instrumentos simples que afinem e "tunados" a gosto do freguês (vide meu set), em inúmeros testes que já fiz não achei que a diferença de som entre uma guitarras dessas tunadas e uma guitarra mais top de marca fizesse juz a diferença de preço entre ambas.

Em violões acho mais complicado, normalmente instrumentos baratos não tem som, e apanham muito com relação a intrumentos caros (não quer dizer que não tenha esbarrado por aqui com insturmentos baratos honestos e caros que deixaram a desejar).

Depois da ultima bateria de testes em loja onde pude testar inumeros violões de aço de 500,00 a 10.000,00 acabei esbarrando com um violão que para os meus padrões atuais teve um bom custo beneficio que foi o Yamaha Folk que postei um revew aqui há um tempo atras.
Acabei esbarrando com um yamha de nylon também velho conhecido, que acabou entrando para o set. Eu toco 90% do tempo de aço portanto a relação de custo beneficio de um nylon para o meu caso é um pouco diferente. Esse nylon tambem me atendeu bastante bem.

Eu diria que uma caracteristica muito importante que senti nos 2 yamahas foi a estabilidade de afinação, comparando com meu suzuky por exemplo as tarrachas são de qualidade bastante superior, o nylon não tem um grande som acústico, mas soa extremamente bem plugado e é muito confortável de tocar.
Já com o aço estou muito feliz com ambos tanto o som acustico como plugado.

Ainda uma coisa que percebi foi que apesar de eu sentir falta de um som "maior" quando estava tocando com o suzuky, tive problemas ao migrar para o folk, uma sobra de graves que não tinha me atrapalhado antes, acabei tendo que apelar pra tampa de borracha que resolveu o problema, mas me senti meio idiota pois queria um violão com timbre maior e quando consegui tive de amarrar o timbre por causa da realimentação de graves ao vivo. Mas tudo bem melhor amarrar o violão ao vivo e ter o timbre na gravação do que ter que inventar som no estudio quando o violão não tem.
Caso fosse tocar violão num contexto mais de banda cogitaria mais seriamente um small body...


Uma coisa que senti que influencia bastante no timbrer dos violões foi corda e palheta, cordas primeiro a expessura, pro meu uso as que melhor se adaptaram foram as 011, quem sabe em alguma situação específica conseguiria ir de 012, mas como meus shows são no geral longos, e devido ao loop station me gerar a possibilidade de alternar entre base e solo, as 011 foram as que se mostraram melhor relação entre conforto e timbre.
Com relação a marcas testei algumas, achei as gianinnis com ótimo timbre pra 1 sessão de gravação porém achei que perdem estabilidade de afinação muitissimo rápido, testei tambem elixir e são o inverso, estáveis por muito tempo mas com timbre bastane opaco desde o começo.
Sou bastante preguiçoso pra ficar limpando corda no final do show, normalmente não o faço, venho utilizando umas cordas martin que me parecem ter boa relação entre timbre e durabilidade, são umas extra long life... custam um pouco mais caro, mas consigo mantê-las por 2 ou 3 meses tocando toda semana.

Palheta foi minha segunda briga, comecei tocando com palhetas que uso pra guitarra (mais de 1mm), fui alterando materiais e expessuras, me adaptei com umas dunlop de nylon de .70 e .80 milimetros. Pra bases as .70 vão melhor, pra solos as .80. Gosto do timbre das palhetas de nylon, quando mudo hoje em dia percebo muita diferença, alem de elas terem uma textura que não as deixa escorregarem das mãos.

O próximo passo foram os efeitos, não uso normalmente efeitos acentuados no violão, meu timbre de referencia é uma som entre linha e microfonado, e minha tentativa com os pedais é de tentar chegar próximo a esse timbre apenas com a linha.

Comecei usando o violão direto, no mixer, apenas com efeito de ambiência, reverb.
Daí tentei alguns multi efeitos (zoom, V amp) a zoom truxe uma melhora interessante mas deu uma pasteurizada no som do violão, a v amp deu um trabalho pra timbrar, acabei conseguindo algum resultado bypassando o pré, mas acabei voltando pros pedais, hoje em dia meu set tem um delay, um chorus e um equalizer.

O delay é analogico fica com uma regulagem curta de ambiencia, como é baixo acabei não fazendo muitos testes com esse efeito, estou usando um metallbox, ainda devo experimentar um echo park uma hora dessas, mas pra esse efeito simples um delay bem simples ja resolve.
O Chorus tem uma regulagem perto do Zero, to usando um CH-7 ibanez chorus flanger, algumas vezes até no modo flanger, ele da uma invertida na fase do violão e encorpa o timbre, da um brilho sem chegar a soar como chorus.
O equalizer uso mais pra compensar as diferenças de ambiência, ja tenho um equalizador no violão e outro no amp, portanto o GE-7 entra mais pra um corte de graves no folk ou um boost de médios quando passo pro nylon.

Pra timbrar o violão esses efeitos me satisfizeram, agora estou começando a cogitar alguma coisa de pedais de efeito pois depois da loopstation muitas possibilidades se abriram. Provavelmente devo colocar um oitavador pra tentar as linhas de baixo ao vivo.

Com relação a amplificação, comecei usando PA da casa, e violão na linha, defendo os violões em PA, em amplis de guita por exemplo nunca obtive nenhum resultado que prestasse.
Num segundo momento acabei usando um mixer Peavey com 2 caixas 1x12 mais tweeter, que ia de PA pra gigs menores e De amp (monitor) pra maiores, agora passei pra um amp marshall acoustic específico pra esse tipo de instrumento, que foi de todos o melhor reultado pra violão, ele tem menos headroom que o PA peavey, mas o suficiente pras minhas situações, e quando é coisa maior puxo ele de monitoração, tiro uma linha e mando pra casa.
Deu um certo trabalho timbrar voz nele num primeiro momento (mais do que no mixer) porém depois de um tempo conseguimos ótimos resultados.
Usei inclusive esse mashall pra o timbre de linha na gravação do último disco do duo, pois ele possui uma saida canon o sinal vai mais limpo pra mesa, tambem achei que o equalizador soou melhor que o da mesa. ele ajudou inclusive no sinal de linha do baixolão.
Achei uma ferramenta bem legal.

Uma coisa que mudou todo o meu aproax da gig foi a adição do Loop station, vi alguns videos na net e ele me trouxe uma coisa que sentia muita falta nesse tipo de gig que é a liberdade de tirar a mão do violão, num esquema voz e violão não da pra sair da base e da marcação senão perde o chão, com o loop station em determinados momentos voce cria e grava esse chão e a partir daí tem muito mais liberdade para criar em cima seja uma segunda linha, um solo, um fill ou etc...

cosegui pegar logo o RC-50 que é o loop grande mas confesso que ainda não consegui usar direito os recursos, provavelemente o que faço até hoje seja possivel ser feito com os loops menores, já deu pra sentir uma grande melhora na massa sonora, é algo que complica um pouco pra tocar pela atenção com os pés e pisadas, e tambem ele exige um raciocínio de onde criar os loops, o ideal é arranjar cada musica, como meu repertorio do duo é muito extenso (acredito que deva ter algo com oumas 500 musicas) estou criando os arranjos ao vivo, e acertando eles aos poucos.

Uma coisa que mudou tambem com a adição do Loop station foi que consegui uma melhora de andamento nas músicas, apesar de todas as minhas bandas serem clicacadas e eu não ter problema com isso, meu click interno é capenga devido a muitos anos tocando com bateras que oscilavam muito andamento. com o loop eu posso criar um loop pecursivo na musica que me serve qde guia pra manter andamento travado na musica inteira alem de preencher mais o som.

A segunda coisa que mudou foi minha monitoração, pra tocar em cima de um loop o play tem que ser mais preciso, em alguns dos lugares que toco o volume do PA é muito baixo, portanto estava com dificuldade pra cravar na base, ultimamente estou usando um fone de ouvido saindo direto da loopstation pra monitorar o violão, tenho ele em um dos ouvidos, assim consegui uma referencia bem mais alta e mais precisa da base, o outro deixo asem monitor pois preciso da referência da voz, numa gig de 2 a interação é absolutamente importante e indispensável.
com o uso do fone tambem ficou mais confortavel, pois agora o violão está emprimeiro plano mesmo em ambientes barulhentos. Antes disso eu havia tentado usar 2 amplis distintos um pra voz e outro pra violão mas não deu certo, a monitoração do violão acabou ficando baixa pra cantora, dessa forma resolveu melhor.

Por enquanto é o estagio onde estou, os proximos passos são botar umviolão de 12 no set (provavelmente mais um irmão yamaha devido ao bom resultado que tenho obtido) , alguma forma pratica e viavel de emular uma linha de baixo (minha primeira ideia é um oitavador) e explorar melhor os recursos da loop station.

Espero que seja uma guia que traga alguma ajuda pra quem está começando a se aventurar por essas praias...

_________________
http://www.gutovighi.com.br


Dom Mar 08, 2009 8:20 pm
Perfil

Registrado em: Seg Set 05, 2005 1:28 pm
Mensagens: 899
Localização: São Paulo
Medals: 3
Positivo (3)
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Muito bom o post Guto.

Mesmo para quem já têm alguma ou bastante estrada, é muito interessante ter essas experiências para comparar e até entender uma ou outra coisa que acontece de diferente e ficou alguma dúvida a respeito.

Parabéns pelo profissionalismo e pelo trabalho e atenção dados aos amigos e colegas de fórum.

Muito boa sorte com as gigs e grande abraço!

Thiago (Head)

p.s.: Também estou namorando um Yamaha 12.... hehehehe. :mrgreen:


Seg Mar 09, 2009 8:47 am
Perfil

Registrado em: Dom Ago 28, 2005 11:57 am
Mensagens: 550
Localização: Niterói/RJ
Medals: 2
Positivo (2)
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Guto, beleza este relato. Há algum tempo, penei pra comprar um violão de 12. Concordo contigo que comprar um violão é muito mais difícil que comprar uma guitarra. Acabei fechando com um Cort.. ótima tocabilidade, um pré legal (Fishman) , um afinador que funciona e no caso de um 12 cordas, se justifica.
Antes toquei um bom tempo com um Yamanha APX também de 12...ótimo violão, mas tinha um problema de um ruído (hum) grave que incomodava bastante.
Das cordas que testei, a Elixir é disparada a melhor. É o triplo do preço das outras, mas acho que vale a pena. O timbre e a durabilidade são superiores. Estou com um jogo colocado há 7 meses e digo que as cordas ainda estão "com condições de jogo".
Também troquei a palheta: não me adaptei com a Dunlop Jazz III, que eu uso pra guitarra e parti para uma Daddario média.
Uso sempre ligado na mesa, passando por um AD121 da Beringher. E outro investimento necessário foi um Black Blug (aquela borracha pra boca do violão) pra evitar microfonia.


Seg Mar 09, 2009 10:17 am
Perfil

Registrado em: Qui Mai 04, 2006 5:54 pm
Mensagens: 722
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Se alguém tiver, poste algum link que fale sobre se captadores magnéticos, tipo o Fishman Rare Earth e o M1, atrapalham ou não o som acústico do violão. Gostaria de colocar um M1 em um violão meu, mas temo que atrapalhe depois gravações acústicas.

Hoje em dia, os bons magnéticos captam também a vibração do corpo, e são considerados melhores que os piezo undersaddle por muita gente. Mas a questão maior é que não precisa furar o violão, e existe sempre a opção de não fazer adaptação permanente (mas fica aquele fio pendente ...)


Seg Mar 09, 2009 10:22 am
Perfil

Registrado em: Dom Mai 11, 2008 9:44 pm
Mensagens: 178
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Campos , um papo nosso mesmo.
viewtopic.php?f=7&t=9454


Seg Mar 09, 2009 1:48 pm
Perfil
Site Admin

Registrado em: Seg Ago 29, 2005 12:42 pm
Mensagens: 7456
Localização: São Paulo
Medals: 12
Positivo (12)
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Esqueci de mencionar ando numa peleja com hum tambem, minha fonte da mettalbox (que é muito quieta) ta terminando a manutenção e peguei uma PB1 eprestada pra ir quebrando o galho, a fonte da landscape gera um hum sério. Se ligar 2 rabichos fica impraticavel, se eu ligar os pedais antes da loop station tambem, estou essa semana pegando minha fonte de volta pra ver se soluciona o problema, minha intenção é ligar equalizer - chorus - loop station - delay, mas não consegui fazer isso ainda por causa do ruído. É importante o delay estar depois do loop senão encavala as repetições e da besteira.

Outra coisa que tambem não consegui foi organizar o(s) boards fica meio impraticavel botar tudo no mesmo board pois toco em alguns lugares apertados e a loopstation é grande, to trabalhando com 2 boards o da loop station e um outro menor para os pedais mas ainda precisa de algo mais definitivo.




Siqueira escreveu:
Guto, beleza este relato. Há algum tempo, penei pra comprar um violão de 12. Concordo contigo que comprar um violão é muito mais difícil que comprar uma guitarra. Acabei fechando com um Cort.. ótima tocabilidade, um pré legal (Fishman) , um afinador que funciona e no caso de um 12 cordas, se justifica.
Antes toquei um bom tempo com um Yamanha APX também de 12...ótimo violão, mas tinha um problema de um ruído (hum) grave que incomodava bastante.
Das cordas que testei, a Elixir é disparada a melhor. É o triplo do preço das outras, mas acho que vale a pena. O timbre e a durabilidade são superiores. Estou com um jogo colocado há 7 meses e digo que as cordas ainda estão "com condições de jogo".
Também troquei a palheta: não me adaptei com a Dunlop Jazz III, que eu uso pra guitarra e parti para uma Daddario média.
Uso sempre ligado na mesa, passando por um AD121 da Beringher. E outro investimento necessário foi um Black Blug (aquela borracha pra boca do violão) pra evitar microfonia.

_________________
http://www.gutovighi.com.br


Seg Mar 09, 2009 1:58 pm
Perfil

Registrado em: Dom Mai 11, 2008 9:44 pm
Mensagens: 178
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Bem, sobre o set acustico.
Eu toco num ambiente religioso católico, mas já toquei em bandas e bares pela vida.
Em geral toco com uma voz e as vezes com outros instrumentistas.
Nos meus posts eu venho colocando a minha nescessidade de encontrar timbres diferentes para que não soemos como "violão de igreja", tudo junto ao mesmo tempo agora, rs rsrs.
Usei durante um bom tempo o APX7 plug and play é ótimo mas, a saga do meu pré perdido, ja se esaplhou e não o uso mais.
Tenho um, Rogério Santos que siceramente não me satiafez completamente esta com captação Shadow e pré Condor, uma Craviola nylon sem captação que as vezes uso com um lapela MK2 da Senheiser e muito cuidado.
De aço já passaram alguns por minhas mãos, Gianninis , Yamahas APX, DelVecchios folk um Crafter bubinga que achei muito interessante. Mas, era emprestado.
Sou fã confesso dos Taylor e da série CPX da Yamaha e dos Guild novos com os prés da D-Tar.
To usando dois 12 Cordas ambos Giannini sendo uma Craviola e um outro modelo jumbo.
Já usei e também gostei dos FOX 12 cordas e de 6 cordas aço. são uma ótima opção para palcos grandes com bandas que tocam alto.
Tenho uma 10 cordas da Rozinni que uso mais em casa, cordas giannini cobra.
Cordas to testando várias.
Sinceramente gostei do timbre e do bate papo com o pessoal da NIG to usando no Jumbo.
A Craviola tá com o Giannini 80/20 e também funciona legal.
As D'daddario e outras importadas que testei não se mostraram tão infinitamente superiores assim.( Pausa para explicação. Minha profissão, meu ganha pão é como Técnico de som, Sonoplasta ,Tec. de gravação, então o meu ouvido, "ouve" um pouco diferente).
Já usei um jogo das Takamine 12 que se mostraram confiáveis, além das Daniel Mari.
Penso em testar as Thomastik-Infeld.
Pedais:
Me apaixonei pelos Fishman Aura Image Blender. Tem um som absurdamente fantástico.
A pedaleira ZOOM VIOLAO A2 EXPRESSION também se mostrou interessante, traz timbres prontos para uso imediato e a possibilidade de se criar patchs proprios.
Geralmente tocamos com uma monitoração deficiente então quando uso amp, quase sempre de gtr meteoro coloco de frente pra mim para que o som venha na minha cara e o monitor disponível tenho as vozes e o que for necessário.
Em eventos grandes onde firmas fornecem equipamentos legais, ainda prefiro o velho monitor de chão com 12" e corneta tirando um pouco 3K15, 4K e 5K geralmente, e filtrando os graves em 100 ou 120Hz.Se for Mayer fivco rindo a toa mas... o que vier a gente timbra.
Abs.


Seg Mar 09, 2009 2:21 pm
Perfil

Registrado em: Dom Mai 11, 2008 9:44 pm
Mensagens: 178
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Bem em tempo. Pergunta:
Valeria apena um Tayler da Rozini como entry level?


Seg Mar 09, 2009 2:27 pm
Perfil
Site Admin

Registrado em: Seg Ago 29, 2005 12:42 pm
Mensagens: 7456
Localização: São Paulo
Medals: 12
Positivo (12)
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Ricbaptista escreveu:
Bem em tempo. Pergunta:
Valeria apena um Tayler da Rozini como entry level?


Os Tayler são os finados Roxy, que na minha opinião éram otimos custo beneficios, botaria eles no patamar dos cort (mais som acustico e monos de pré, dependendo do pré, parece que tem tayler com Fishman)

Gostava dasonoridade e construção dos roxy, não gosto da linha normal da rozinni, tive o double e era uma bela porcaria, tarrachas pessimas braço grande problemas de afinação e por aí vai...

Testei alguma coisa da serie tayler e me pareceu similar aos roxy, eu iria neles oa invez de crafters, com certeza do que ja testei de crafter. (Tive um 12 e toquei num DE-7).

no minimo sugeriria um teste sem preconceito, acho impressindivel testar violão cad um tem um som uma pegada e cadamusico tem um gosto, nada como poder testar uns 10 ou 20 na loja pra ter alugm embasamento. De preferencia em lojas com cabines fechadas pois testar no meio da muvuca não resolve absolutamente nada.

O teste de captação deve ser feito com algo similar ao que se está acostumado usar para ter melhor referencia de timbre, mas os detalhes do instrumento só vem mesmo depois de varias horas de shows gravações e etc...

_________________
http://www.gutovighi.com.br


Seg Mar 09, 2009 11:11 pm
Perfil

Registrado em: Seg Ago 15, 2005 8:13 am
Mensagens: 3567
Localização: São Paulo
Medals: 1
Positivo (1)
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
E lembrar que com violão (na verdade todos os instrumentos acúsitocs) acontece algo que é muito mais nítido do que com guitarras: cada instrumento tem um som diferente.

Não estou falando de marca, nem de modelo. Se você pegar 3 violãos da mesma marca, mesmo modelo, é bem possível que um deles tenha um som bem diferente dos demais. Se pegar um lote de 10 ou 20 (nenhuma loja vai deixar você fazer isso :twisted: ) e testar todos, é capaz de achar um exemplar que é superior aos outors.

Quando fui comprar meu violão de aço, primeira loja que passei foi na Leimar, que estav ano caminho. Pedi o violão de aço mais em conta que eles tinham. O cara me apareceu com um Yamaha bem simples, mas com um som bem gostoso. Eu não tinha referencia de som de aço.. agradeci e fui rodar a Teodoro Sampaio. Testei muitos violões com preço até o dobro daquele Yamaha, mas nenhum chegou perto.
Voltei na Leimar e pedi para testar outros violões do mesmo modelo. Surpresa! Todos tinham um som pequeno, bem fraquinho... mas aquele primeiro que eu tinha testado era especial. Comprei e até hoje ele fala bonito perto de outros violões bem mais caros.

Então tem que ficar esperto com isso. Não é porque alguém recomenda um XYZ que pode comprar sem testar. Vai na loja e enche o saco do lojista, e testa um monte. Vai que de repente você esbarra num especial desses... 8)

_________________
Facebook http://www.facebook.com/domene
Estúdio Next http://www.estudionext.com.br
Reverbnation http://www.reverbnation.com/domene


Ter Mar 10, 2009 9:24 am
Perfil

Registrado em: Dom Mai 11, 2008 9:44 pm
Mensagens: 178
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Domene, concordo plenamente com o que voce colocou. Mas, assim como as guitarras, existem algumas lendas, marcas que em geral são sinal de boa coisa.
Acontece muito com os violonistas classicos que esperam anos por um Fletcha ou um Fischer e até por alguns luthiers brasileiros de renome internacional como Sérgio Abreu, João Batista.
Com os violões de fábrica isso é ainda mais audível.
Já relatei não me lembro se foi aqui neste forúm, sobre uma roda de violão que rolou na minha casa.
Uma galera pra se divertir e claro "tirar onda" com seus instrumentos.
Bem, tinha Takamine, Yamaha, Epiphone, Walden, Crafter e por aí vai. O que mais me impressionou foi uma amigo que levou um ,pasmem um REI DOS VIOLÕES, COM CORDAS DE AÇO E ESTE VIOLÃO TINHA UM SOM E UM TIMBRE INCRÍVEIS, eu fiquei espantado pois não é normal tal coisa, ele sobresaia e muito entre os outros
Provavelmente o leque harmonico seguia os modelos classicos, tipo Hauser ou Torres, coisa assim ou pior , seilá.
Daí eu comecei a pesquisar sobre os leques harmonicos usados nos violoes de aço mais famosos e os de luthier principalmente os americanos.
Bem, já tentei falar com algiuns luthiers para dividirem a experiencia comigo mas, nenhum se habilitou ainda.


Ter Mar 10, 2009 11:07 am
Perfil

Registrado em: Qui Mai 04, 2006 5:54 pm
Mensagens: 722
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Tudo o que eu queria era um bom amp que fosse bom TANTO para guitarra como para violões ... tipo este aqui:
http://www.music123.com/Rivera-Sedona-5 ... 8.Music123
he he he. Bem em conta, esse.
But I'm still haven't found what I am looking for.


Seg Mar 30, 2009 10:12 am
Perfil

Registrado em: Dom Mai 11, 2008 9:44 pm
Mensagens: 178
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
POis é Campos eu já "assuntei" aos frabricantes nacionais e de butique.
Mas, nunca obtive uma resposta legal.
Assim como,os captadores magnéticos para violão niguem se arrisca.


Seg Mar 30, 2009 2:32 pm
Perfil

Registrado em: Qui Mai 04, 2006 5:54 pm
Mensagens: 722
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Será? A Onerr tem o Bravho 100, mas é um trambolho pesadíssimo, é caro, e não deve ter uma qualidade profissional (sendo preconteituso, digamos - nunca testei)

E quanto aos captadores magnéticos, a Sound tem há anos. Já usei muitos ... Mas soam ou soavam como captadores de guitarra.


Seg Mar 30, 2009 2:42 pm
Perfil

Registrado em: Dom Mai 11, 2008 9:44 pm
Mensagens: 178
Mensagem Re: Divagações sobre set acústico.
Fala aeee Campos, beleza?
Vamos lá, a diferença entre os captadores para violão de aço nacionais e os gringos é bem grande.
Já postei no forum da Sound sobre isso e por enquanto eles não tem perspectiva de nenhum produto na área. Tentei a Stellfner e nada também.
Os Sound "véios" de guerra quase todo mundo já usou eu ainda tenho um que funciona bem legal.
Ainda acho que beleza aliada a desempenho e resultado são a melhor opção.
Tipo compare estes exemplos.
Sound
http://www.malagoli.com.br/acousticrock.htm
http://www.malagoli.com.br/mag2a.htm
Shadow
http://www.shadow-electronics.com/catal ... &lang_id=2
Artec.
http://artecsound.com/acou/soundhole.htm#ordering
Entre outros.
Sobre Amps, eu postei aqui no fórum e pelo que eu entendi ninguém sabe exatamente o que deveria apresentar um amp específico para violão.
Acho que a industria nacional assimcomo no caso do Áudio pro, deve e precisa melhorar para poderem competir com os gringos.
O que vc acha?


Ter Mar 31, 2009 12:52 pm
Perfil
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 80 mensagens ]  Ir para página 1, 2, 3, 4, 5, 6  Próximo


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para:  
Powered by phpBB © phpBB Group.
Designed by Vjacheslav Trushkin for Free Forums/DivisionCore.
Traduzido por: Suporte phpBB