Bem-vindo: Qui Jan 18, 2018 4:53 pm




Criar novo tópico Responder  [ 1 mensagem ] 
SGT "Classic T" Telecaster 
Autor Mensagem
Site Admin

Registrado em: Seg Ago 29, 2005 12:42 pm
Mensagens: 7456
Localização: São Paulo
Medals: 12
Positivo (12)
Mensagem SGT "Classic T" Telecaster
Ta no site mas achei legal colar aqui:

Apareceu essa telecaster simpática aqui para eu fazer um review. Fiquei com o instrumento por algum tempo, usei ela como guitarra de estudo, levei pra show e ensaio, seguem as minhas impressões a respeito:

Imagem


(para quem não tem paciência pra ler, tem uma versão resumida do texto em vídeo:)



A Marca.

A SGT (Special Guitar Team) é uma marca nova buscando seu espaço no nosso mercado. Ela conta com alguns profissionais já no mercado há muitos anos, 2 dos responsáveis pela marca são o Seiji Tagima, e o Leandro Walczak, ambos com passagens por várias outras marcas e com uma bela carga de experiência que trazem pra essa empreitada.
Ao que me foi passado, o conceito da marca são guitarras construídas no Brasil, com bastante cuidado na fabricação, com o conceito de fábrica, mas preocupação de uma “custom shop”. Eles buscam um nicho de mercado interessante, com um preço final de mercado competitivo visando brigar com as demais “custom shops” estabelecidas no nosso por aqui e também com as marcas importadas mais famosas que sofrem em seus preços com a alta do dólar.

A Guitarra

O Modelo que me foi enviado, o qual falarei a respeito é a TC Classic. Que seria a telecaster modelo de básico deles. (pesquisando no site vi que eles oferecem 4 opções de telecaster, essa mesma com um mini humbucker na ponte, uma versão custom com um top de maple figurado, e uma versão nashville com terceiro pickup na posição do meio).
Ao que me consta a fábrica ainda tem uma divisão custom shop que pode fabricar um instrumento com certo grau de customização em cima de uma plataforma básica deles, (não é um lugar pra se encomendar um doubleneck de desenho estranho, mas pode se pedir alguma captação especifica e mais alguma outro detalhe dentro dos modelos que eles oferecem).

Essa daqui é feita em freijó (também existe a opção de marupá ) no corpo, o freijó é mais próximo do ash tradicional nas teles, mais pesado e de equalização mais “pontuda” (mais scooped) o marupá é uma madeira mais leve com mais características de médios aos meus ouvidos. Os braços são em maple canadense, com opção de embuia, as escalas podem ser claras em maple ou escuras em pau ferro, o caso dessa que veio pra mim (maple + pau ferro), que inclusive acho que é a própria da foto do site aqui:

http://www.sgtguitars.com.br/catalogo/tc-classic

É uma tele, no ponto de vista estético com pequenas alterações onde cada fabricante faz a sua leitura da telecaster para personalidade e por obrigação pra não tomar um processo da fender. Nessa área o mais perceptível é uma leve ponta na parte arredondada do headstock.

Imagem

Na parte mais prática ela tem alguns detalhes que me agradam bastante, eu sou um profundo fá de teles, mas algumas características das mais tradicionais não são do meu agrado, prefiro instrumentos com um pequeno toque de modernidade, que pra mim se traduzem em maior conforto e tocabilidade. Essa aqui já apresenta alguns desses pontos para mim importantes nesse quisito:
- tem braço de 22 trastes (sim aquele 1 traste pra mim faz uma falta pra ponta da pentatonica na tonalidade de A),
- trastes grandes que facilitam os bends com cordas mais pesadas, assim como um raio um pouco maior de escala (12”) e um acabamento acetinado na parte traseira do braço no que também me agradam em conforto.
O shape é em C um pouco achatado atrás, não é muito fino, o que deve aumentar a estabilidade dele com relação a movimento em variações de temperatura, mas não achei um braço grosso. Gosto de V Shapes por aqui mas não tive problemas de me adaptar com esse.

Imagem

Imagem

Imagem

O corpo conta com o contour traseiro, tb conhecido como belly cut, puxado das stratos, que deixa a guitarra um pouco mais ergonômica na barriga e também um recorte na parte de trás do corpo perto do final da escala para facilitar o acesso às últimas casas.

Imagem

Fechando a lista de componentes a guitarra contou tarrachas gotoh, com ponte tradicional de 3 saddles e captadores tradicionais em Alnico da marca DS Argentina, a qual eu nunca tinha ouvido falar, mas surpreenderam positivamente.

Imagem

Imagem

De pontos negativos no acabamento percebi apenas 2 pequenos detalhes, as laterais dos trastes poderiam estar melhor polidas (não chegaram a incomodar para tocar, mas percebe-se leves cantos vivos ao passar a mão) e os furos do rulers dos string-throughs na parte de trás estão levemente desalinhados, (sem nenhuma implicação de tocabilidade, apenas estética).

Tocando.

A guitarra se manteve bastante estável, ajustada da fabrica com cordas 010 que são minha preferência e tb a recomendada pelo fabricante, variei um pouco as afinações pra tirar algumas musicas, trabalho bastante com Drop D, mesmo indo e voltando um pouco a guitarra não perdeu a regulagem, nem em casa, nem em ensaio e show, uma vez afinada a guitarra se mostrou bastante estável nessas situações.

O captadores supreenderam positivamente, achei eles razoavelmente silenciosos (claro, são singles tradicionais, tem algum ruído natural), não apitaram, tem um bom timbre tradicional do que se espera de uma telecaster: o neck um pouco mais velado o ponte bem estalado (pra ser chato, este poderia ter um “cabelinho” a mais de grave para ser usado com o freijó, provavelmente no Marupá ele já tem o grave suficiente). A posição de soma dos 2 caps soou bem encorpada e definida.
Gravei duas baterias de áudio samples: a primeira apenas a guitarra demonstrando posição a posição de captador, com timbres limpos e com vários estágios de drives:



A Segunda usando a guitarra para tocar em playbacks de alguns estilos distintos como Funk, country, Blues e rock demonstrando algumas possibilidades de timbres que se pode tirar do instrumento dentro de cada uma destas linguagens:



No geral ela me surpreendeu bastante bem, é um instrumento pronto que pode ser usado profissionalmente do jeito que vem de fábrica, tenho várias outras teles de diversas marcas por aqui, e não achei que ela ficou devendo em qualidade a nenhuma delas.
Se a marca mantiver esse padrão de qualidade nos demais instrumentos de sua linha e ao longo de sua vida, acredito que será uma opção bastante interessante de custo beneficio dentro da categoria a qual ela visa brigar no nosso mercado. (segundo o fabricante esse instrumento teria um preço de mercado final em torno dos 2500,00 reais).

Mais informações do fabricante:


http://www.sgtguitars.com.br/

_________________
http://www.gutovighi.com.br


Seg Ago 15, 2016 4:58 pm
Perfil
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 1 mensagem ] 


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para:  
cron
Powered by phpBB © phpBB Group.
Designed by Vjacheslav Trushkin for Free Forums/DivisionCore.
Traduzido por: Suporte phpBB